Meu "Sentir" tem cor e cheiro. Bebo vinho... Meus versos vivem...Tenho ilusões que respiram... E minhas linhas são veias! Derramo sensações e devaneios. Me ajusto e me asseguro no exagero.Vivo de tudo que é Vermelho!

quinta-feira, 17 de março de 2011

Versos de Outono...


São esses ventos de Outono...
Esses mesmos!
Que me gelam a face
Que me cortam os punhos
Com a competência de um aço
São esses ventos de Outono...
Que esfriam meus lençóis de seda
Derrubam as minhas defesas!
São esses ventos de Outono...
Que trazem a ironia do seu sorriso
Frio e sem graça nenhuma
Fazendo das tardes intermináveis momentos de agonia
E esses mesmos ventos de Outono...
Irão bater a sua porta
Enrugar a tua pele
E  no frio...
Você vai se lembrar
Que eu sofro...
Porém...
Não te quero mais!

11 comentários:

Jão disse...

Agente sofrem, pois o amor está empreguinado na pele, corrente no sangue. Porem a vontade de viver e ser feliz é maior.

Tudo vai passar minha querida!


Ps. Obrigado por trazer um ouco do meu espaço para suas páginas.

Adoro você!

A.S. disse...

Silene,

Esquece os ventos de Outono! Vive a beleza da primavera, onde tudo renasce e se renova... até o amor!...


Beijos, querida!
AL

หคтнყ disse...

Por mais difícil que seja, as vezes é necessário negar um "amor". =/

Fui indicada ao meme e agora estou indicando
você, se quiser participar:

http://nathydorgas.blogspot.com/

Bejjo

Murillo disse...

A vida está sempre mudando, tudo de ruim passa e nos evolui, fortificando. Talvez esse espaço era para outro alguém que se encaixe melhor! :)

Livinha disse...

Silene minha querida,
Aproveita o outono, que ora chega,
atente para a renovação,
o que te fez sofrimento, deixa para trás,
esqueça, é quarta de cinza, como morto de verão...

Linda poesia, ditada pelos teus tão ternos sentimentos...

Lindo domingo pra ti

Bjs

Livinha

Felipe Faverani disse...

Oi, Sil, tudo bem?
Também estava com saudades! Com a faculdade precisei me afastar um pouco do blog, mas continuo a escrever esparsamente.
Fico contente que tenha gostado do poema. Creio que a mulher à qual eu o escrevi também fosse apreciá-lo, mas não compreendê-lo.
Meu coração está só no momento. Tenho muitas ideias e sonhos a serem processados, sabe? Tenho receio de jogar qualquer coisa fora.
Viver a gente não vive: no mundo moderno a gente se arrasta com os dias, meu anjo.
Sobre o seu texto, posso dizer que o outono é a minha segunda estação favorita do ano; a primeira é o inverno. Gostaria que esses versos de outono viessem me visitar qualquer dia.
Grande beijo pra você, Sil.

Si Fernandes disse...

A intensidade mora por aqui, né?
Adorei teu estilo, belo blog.
Parabéns.
Beijos!

Diego Marques disse...

Quando frio bater, este amor vai necessitar do outro amor e quando for a sua busca baterá d cara com a porta!

Profundo, seu poema relata com clareza as voltas que o mundo dá!

Num dia se ama, no outro se odeia, no outro é indiferente, e quando volta a se amar talvez não haja mais retorno...
Versos vermelhos me emociona as vezes, porém não comento muito pois não há muito o que falar...
a intensidade vermelha que há aqui fala por si só.

gde abço

Solange disse...

intenso como o vermelho..
e decidido como eu..

bjs.Sol

Andréia B. Borba disse...

Lindo post!

O amor acontece verdadeiramente quando aprendemos a nos amar e valorizar acima de qualquer outro...
Parabéns, minha querida.

Adorei seu espaço. Um prazer estar por aqui.

Bjs e boa semana! Déia

Daniel disse...

Cada vez mais, você chegando na essência de tudo o que é vermelho ein? estou a te observar sempre, lembre-se disso caríssima amiga de dias vindouros! estou sempre a te olhar e a te lembrar que os ventos só existem para nosso bem, e se eles nos cortam é porque permitimos isso, porque o mesmo vento, também acaricia o cabelo de grandes amores. O Vento é um bem celestial, é um ar, onde há um pouco mais pra respirar. Eu sempre gosto de vir aqui e hoje, quando me deparei com os versos do "Bon Jovi" senti mais profundamente na pele ainda, minha admiração por seus escritos. Você perfurou um pouco, uma entrada antes do principal. Adoro "Always" e sempre adorarei, porque sempre amarei.

Dan