Meu "Sentir" tem cor e cheiro. Bebo vinho... Meus versos vivem...Tenho ilusões que respiram... E minhas linhas são veias! Derramo sensações e devaneios. Me ajusto e me asseguro no exagero.Vivo de tudo que é Vermelho!

sábado, 14 de janeiro de 2012

Pensei que preciso...



Deixe-me encostar sob teus braços
Ouvir o silêncio de árvores que possui teu abraço
Calmamente... Ficar ao teu lado...
Ouvir a respiração das tuas asas
Que trazem o som rasgado dos céus
Deixe-me aqui... A contemplar-te...
Muda e quieta
Me envolvendo nos aromas que você exala
Me confundindo nas cores que você revela
Deixe-me abrigar sob teu calor
Ver a vida sair de dentro de mim
Te tocar... E retornar com amor...
Deixe-me sentir
Deixe-me...
Nessa dependência absurda de te precisar
Escorrendo vinhos
Dos vermelhos inebriantes desse caminho
Retiro meus pés...
Me dou e me nego
Incontida nesse... "Te quero..."
Deixe-me invisível
Sem cor... Sem medida
Ocupando um pequeno traço
... Da tua vida...


by Silene Neves


4 comentários:

J. Ríos disse...

Sil, tenho podido ver teu "vermelho" escorrendo entre cada letra destes versos apaixonados, carentes."...Ouvir o silêncio de árvores que possui teu abraço..."Sem dúvida, este está dentro de minha lista de favoritos!

Bjo

anjoclandestino.blogspot.com

AquilesMarchel disse...

so um pequeno traço?
belo poema


quanta dependencia
admitida e explicita
ando passando dessa fase

Solange disse...

como sempre...lindo demais!!

bjs.Sol

Ana disse...

Oi Sil

Amei!!

"A contemplar-te... Muda e quieta"

Enquanto tudo grita dentro de ti...

Magnifico!!

Xero

Ana