Meu "Sentir" tem cor e cheiro. Bebo vinho... Meus versos vivem...Tenho ilusões que respiram... E minhas linhas são veias! Derramo sensações e devaneios. Me ajusto e me asseguro no exagero.Vivo de tudo que é Vermelho!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Árvores... e silêncio...


Eu sinto as pessoas se aproximarem ... 
Como o silêncio que existe debaixo de uma árvore
Eu desejo por essas pessoas...
Como as raízes de uma árvore anseiam por água
Eu sinto as pessoas se aproximarem...
Como o silêncio que existe no fundo dos mares... oceanos
Eu desejo por essas pessoas... 
Como os litorais anseiam pelas ondas
Eu sinto as pessoas...
Elas são o silêncio...
Das palavras ditas sem voz
De vozes que eu necessito ouvir
Do silêncio que escreve as palavras mudas
Das palavras escritas sem tinta
Eu sinto as pessoas...


By Silene Neves
Inspirado por


"...e eu desvendo-te o caminho,

recostando à sombra das paredes


o que te escrevo nas árvores


e na rosa que acendes nas mãos..."




By Nilson Barcelli


NimbyPolis

6 comentários:

Jão disse...

Eu sinto as pessoas
ora próximas
outrora distantes
se perdem no caminho
se encontram
mais logo se vão
e eu continuo só
só me resta esperar


Saudades das nossas conversas no msn

Beijos querida!

Kafé Universitário disse...

Querida Sil! Bom dia!!!

Lindo poema como sempre, espero que estas pessoas de fato cheguem em sua vida para torna-la ainda mais vermelha.

Beijos

Patŕicia

Nilson Barcelli disse...

O teu poema é muito bom.
Gostei muito.
Beijos, querida amiga.

© Piedade Araújo Sol disse...

do silencio que escreve as palavras mudas...

gostei de ler.

beij

Solange disse...

fantástico!!!

bjs.Sol

Paulo disse...

Eu também sinto...
Um beijo grande e que este ano de 2012 concluimos mais.