Meu "Sentir" tem cor e cheiro. Bebo vinho... Meus versos vivem...Tenho ilusões que respiram... E minhas linhas são veias! Derramo sensações e devaneios. Me ajusto e me asseguro no exagero.Vivo de tudo que é Vermelho!

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Enquanto te espero...!


Meu corpo tornou-se uma "terra" vermelha
A espera de ti...
Há dias atrás... há poucas horas antes desse "agora"...
Chamas tem alimentado meu "sentir"...
E eu ficarei a sua espera
Como as flores anseiam pela primavera
Feito as rochas e os paredões a espera do rebate das ondas...
Em um dia de verão...
Serei "mil sóis" a arder no céu da sua boca
Inevitavelmente... Como folhas que caem no outono
Eu esperarei por você
E quando chegar o inverno
Tu virás enfim
Com suas águas quentes e nocturnas
Trazendo-me a madrugada na tua boca
Fazendo "negras" todas as estrelas
Diante do fogo que fará de mim...!

3 comentários:

VEREDAS, por Marluce disse...

Sil,


Lindo, ardente como o vermelho!


Um abraço, Marluce

Daniel disse...

Essa espera perdurará apenas até que outra pessoa te encontra esperando por aquele que pode nunca mais voltar.

Pelo menos, na maioria das vezes é isto que ocorre.

Obrigado pela visita em meu blog.

Voltarei mais vezes no seu.
Gostei.

Daniel

A.S. disse...

Belo e intenso o teu poema Silene!...


Beijos meus!
AL