Meu "Sentir" tem cor e cheiro. Bebo vinho... Meus versos vivem...Tenho ilusões que respiram... E minhas linhas são veias! Derramo sensações e devaneios. Me ajusto e me asseguro no exagero.Vivo de tudo que é Vermelho!

domingo, 5 de junho de 2011

Cólera... na ausência da tua voz.


No silêncio que violenta meu peito
Eu quero tuas palavras
Devagar... uma a uma...
E enquanto tu dizes
Quero senti-las...
Como o aroma de gotas de cereja se derramando...
Feito pétalas vermelhas caindo sobre meu colo
E meus olhos enfim...
Não serão mais um escudo
Mas... os atalhos para que você chegue aqui
Agora...
No silêncio que acaricia meu peito
Eu quero tua boca
Sem palavras...
Eu quero teu beijo...

3 comentários:

Nilson Barcelli disse...

As tuas palavras encantam-me, porque o teu poema é excelente.
Gostei mesmo muito. Parabéns pelo teu talento.
Querida Sil, desejo-te um bom Domingo.
Beijos.

Jão disse...

Não jogue ao vento
palavras que espero
desejo-te em versos
com olhos marejados
coração aguarda
suas palavras
seu beijo de amor.


Beijos querida
Saudades!

Cecília disse...

Depois das suas lindas palavras e das do Jão, vou me calar e aplaudir! Parabens... Parabens... Parabens...

Esperei te ver no sábado passado. =/

Beijos!