Meu "Sentir" tem cor e cheiro. Bebo vinho... Meus versos vivem...Tenho ilusões que respiram... E minhas linhas são veias! Derramo sensações e devaneios. Me ajusto e me asseguro no exagero.Vivo de tudo que é Vermelho!

domingo, 19 de junho de 2011

Pedaços de ilusões...



Inexplicável...
Vejo Borboletas enquanto caio nesse abismo...
Não sei a que altura estou
E se falta muito para que eu me quebre por completo 
Nessas pedras...
 Que antes eram meus ardentes desejos...

3 comentários:

Jão disse...

Caímos nesse abismo sempre. Perdemos o chão, ficamos sem norte. O que deve se fazer é parar, respirar, rever algumas prioridades e encontrar de volta os caminhos que nos leva para cima.


Beijos

Diego Marques disse...

Me sinto como no seu poema, caindo do topo daquilo que conquistei...

saudades

Kafé Universitário disse...

Nossa Sil sinto falta de tanto vermelho!!!

Desejos por mais que se despedacem sempre se reconstroi, pois se não perderiamos o sentido de viver...

Beijos

Patrícia